Hiperbárica Natal

Pé Diabético e o papel da Oxigenoterapia Hiperbárica

O diabetes é uma doença de proporcões mundiais afetando milhões de pessoas em todo o mundo. A doença é progressiva se não for tratada e leva a diversos tipos de lesões, dentre elas: vasculares e nervosas.

Um certo número de pacientes portadores de diabetes poderá vir a sofrer de uma condição potencialmente grave, chamada “Pé Diabético” que consiste em úlceras nos membros inferiores decorrentes de microlesões que evoluem para feridas maiores e infectadas e que podem levar a amputações se a intervenção médica não for imediata.

As especialidades médicas que tratam do paciente diabético são eminentemente a endocrinologia e os cirurgiões vasculares, no entanto, outra especialidades podem vir a fazer parte da equipe, como ortopedistas, cirurgiões plásticos, geriatras, neurologistas, etc.

O tratamento das úlceras diabéticas exige uma abordagem multi-profissional. Controle da glicemia (taxa de glicose no sangue), curativos apropriados, diminuição da carga sobre o local afetado, antibióticos, revascularizaçãoes, desbridamentos (limpeza) cirúrgicos e, por vezes, amputações.

Vale ressaltar que uma das maiores dificuldades em tratar pacientes diabéticos é a sua cicatrização lenta e deficiente. Apesar de todas a medidas descritas acima para tratar a lesão, a cicatrização pode ser lenta.

Um método de tratamento agora disponível em nossa cidade, a Oxigenoterapia Hiperbárica, é uma terapêutica capaz de acelerar a cicatrização e combater infecções muitas vezes apresentadas no quadro de Pé Diabético.

A Oxigenoterapia Hiperbárica é o tratamento através da inalação de oxigênio puro e pressurizado, através de uma câmara hiperbárica. As sessões duram 90 minutos, são feitas com o paciente deitado e assistindo televisão.

A Oxigenoterapia Hiperbárica age como um auxiliar dos demais tratamentos, fornecendo um alto teor de oxigênio para estimular, dentre outros eventos a proliferação de fibroblastos (células de cicatrização), formação de novos vasos, potencializa o efeito de antibióticos, ativação de macrófagos, redução de edemas (inchaço), etc.

“O tratamento exige a colaboração do médico assistente de qualquer especialidade em conjunto com o médico hiperbarista, aquele responsável pelo tratamento hiperbárico. Nenhum dos tratamentos tradicionais é substituído pela Oxigenoterapia Hiperbárica… na verdade, esta será mais uma arma no combate ao danos causados pelo Pé Diabético”, diz o Dr. Marcus Vinícius de Moraes, anestesiologista e responsável técnico médico pela Clínica Hiperbárica Natal.

O médico acrescenta: “O paciente diabético deve estar sempre em contato com seus médicos, sejam endocrinologistas ou cirurgiões vasculares para evitar o avanço da doença. Com visitas regulares o diabetes pode ser controlado e o diabético pode ter uma vida bem próxima do normal. A Oxigenoterapia Hiperbárica é uma opção para os casos que saem do controle clínico e desenvolvem lesões, podendo evitar ou diminuir a extensão de cirurgias e o reduzir o tempo de recuperação.”

Responsável médico – Dr. Marcus Vinícius de Moraes CRM 4555

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *