Hiperbárica Natal

Oxigenoterapia Hiperbárica é o nome de um tratamento médico onde o paciente respira oxigênio puro sob pressão (2-3 atmosferas), enquanto fica deitado numa câmara hiperbárica (câmaras monopacientes). As sessões duram 90 minutos, repetindo-se diariamente, de segunda a sábado. Após 10 sessões, o paciente é reavaliado.

Nota-se que doenças agudas normalmente respondem a 20-30 sessões. Enquanto doenças crônicas, entre 40-60 sessões. Algumas situações podem necessitar de mais, dependendo da gravidade ou complexidade do caso.

O oxigênio é respirado sem a necessidade de nenhum equipamento e age por dentro do corpo, estimulando a resposta imunológica em diversos níveis, para promover a cicatrização de feridas complexas, bem como de alguns tipos de infecções, sempre auxiliando cirurgias, antibióticos, curativos e outras condutas médicas.

O oxigênio hiperbárico age como um fármaco, promovendo a cicatrização que estagnou em algumas de suas etapas ou está sendo prejudicada por algum processo infeccioso.

A experiência dentro da câmara hiperbárica é simples: você sente o ouvido ficar tampado como quando voa de avião, mergulha na água ou desce uma serra de carro, bastando deglutir para resolver isso.

O mecanismo exato do tratamento vem sendo estudado extensivamente nos últimos anos, devido ao crescente interesse em pesquisa internacional nesta área.

Como a Oxigenoterapia Hiperbárica funciona?

Alguns dos vários mecanismos de ação da Oxigenoterapia Hiperbárica são:

  • Hiperoxigenação: Aumento do oxigênio dissolvido no sangue.
  • Vasoconstrição: Reduzindo o inchaço patológico, chamado de edema. Redução no tamanho das bolhas: Em determinadas doenças, bolhas gasosas formam-se no corpo. O efeito da pressão da Oxigenoterapia Hiperbárica reduz estas bolhas e o oxigênio as dissolve.
  • Efeito Antimicrobiano: A Oxigenoterapia Hiperbárica age contra bactérias e suas toxinas e também potencializa os efeitos de antibióticos.
  • Neovascularização: A Oxigenoterapia Hiperbárica acelera a criação de novos vasos em áreas com cicatrização afetada, estimulando células importantes da regeneração chamadas de fibroblastos.

Assista aos vídeos